Sorte a minha

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
A Felicidade em tempo de pandemia. Um texto espontâneo escrito pela aluna Matilde Cardoso, do 9º B.

Sorte a minha

A felicidade é uma coisa muito estranha. Vem nos momentos menos esperados,  e é muito picuinhas. Decide chegar só a algumas pessoas, e essas são sortudas.

Eu sou uma pessoa muito feliz. É uma frase que eu estou sempre a dizer aos meus pais, para eles nunca se esquecerem que foram eles que me ensinaram a ser assim. Porque a felicidade pode não nascer dentro de nós, e nós podemos aprender a recebê-la.

Se há coisa que eu aprendi ao longo dos anos, é que ser uma pessoa positiva tem milhares de benefícios. Vê-se tudo de maneira diferente. Tudo fica mais bonito, mais colorido, maior. A vida torna-se melhor, só por causa da maneira como pensamos.

Eu acho que se aprende a aproveitar as coisas mais pequenas que a vida nos oferece, como um pôr do Sol, ou cantar uma música com os nossos amigos. E há momentos, em que parece que existe um pico de felicidade, e que se viaja para outro sítio. Eu gosto de pensar nele como um local de gratidão, e de segurança. Como a cama macia de um hotel. Um sítio único e inexplicável. Onde se atinge um nível de conforto e de calma, e onde se apetece começar a chorar, por termos coisas tão boas na vida.

Depois há várias formas de felicidade. A de ganhar alguma coisa, a de não falhar uma receita na cozinha, a de dar um abraço. Toda a gente experiencia esta emoção de maneiras diferentes. E principalmente em diferentes momentos. A felicidade de ouvir música através de um gira discos está para mim como a de ver um jogo de futebol está para os meus amigos. Realmente, a felicidade é extremamente rara. É uma personalidade. Tem certos amigos, e certas coisas que gosta de fazer mais. Tem os seus inimigos, como as lágrimas, mas também consegue lutar contra estes. É uma emoção com cabeça de humano. Pensa, escolhe, esconde-se, vive, e ama.

Eu hoje considero-me uma pessoa com muita sorte, por esta pessoa com o nome de Felicidade querer ser minha amiga, e estar presente no meu dia-a-dia. Obrigada.

by Matilde

Em destaque

Educação Tecnológica no 6.º ano

Os alunos do 6º ano, depois de assistirem ao Festival Monstra – Cinema de Animação, criaram os seus próprios filmes com a técnica StopMotion.
Aqui estão alguns trabalhos… entretanto mais serão publicados, fique atento!

Ler noticia

Mais recentes